Quem sou eu

Minha foto
"A um certo tempo, não deixarei que minhas lágrimas, falem-me tanto de você!"(Rosane Oliveira)

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

domingo, 25 de outubro de 2009

Alzheimer

Alzheimer
.
Imóvel
sobre o leito
inerte
aos apelos da carne
sequer reconhece a dor
nem lágrimas
nem sorrisos
nenhum sentir lhe aflora
apenas o ir e vir
sem "pra onde"
ansiedade lhe devora
os caminhos desconhece
E você quem é?
nenhuma toca é sua óca
tudo
é ainda insuficiente
é o Alzheimer
a destruir o "presente"
.
na lucidez extinta
apagam-se as luzes
uma a uma
e no virar da madrugada
resta um corpo
de alma ausente
ainda vivo
sem "passado" e sem "presente"
.
Rosane Oliveira

Saudade

Saudade
Envolvi meu corpo
Num abraço de próprios braços
Tentando sentir o seu calor
Tentando sentir seu corpo Junto ao meu,
Como antes!
Fechei os olhos
As lágrimas escorreram
Enquanto você dizia o seu amor
Num sussurrar de pensamentos
Que me tomaram neste momento!
Gritei,
Mas a voz não saiu,
Ninguém foi capaz de ouvir
A aflição que vinha em minh’alma
Que dor é essa, que abre caminhos
No corpo e na alma,
Não obedece ordens
E se apodera dos sorrisos?
Que dor é essa, tão profunda que emudece
Tão escura que cega os olhos no brotar das lagrimas?
Que dor é essa, que sangra tanto
E ninguém vê?
Que rouba o paladar, que apaga as esperanças
Que sussurra ameaças de morte
Acorda as lembranças pra que doa ainda mais?
Que dor é essa, que de febre deliro
Que me rouba o ar e eu sufoco
Sem sequer gritar?
Que dor é essa, que esfola o carne
Que tortura a alma
Até você voltar?
Que dor é essa que só ameniza com beijos
Com toque de pele, com olho no olho
E mil promessas de amar?
Que dor é essa?
.
Rosane Oliveira

domingo, 4 de outubro de 2009

Aliviada

No interruptor
o dedo
No ambiente
a penumbra
E o perfume nas narinas
Presença
invisível aos olhos
Sentida na pele
E no cheiro
O sorriso me saltou
A lágrima aflorou
A tranqüilidade ficou
Na noite o cheiro adentrou
Adormeci
Incorporada
Rosane Oliveira

Tecelã

Tecelã
No tear do pensamento,
Teço as teias que te envolvem,
E as minhas esperanças; No breu da noite,
Desfio meus medos e inseguranças;
Teias que se desfazem
No melado de um aconchego;
No fiar do fio mais brilhante,
Ganho asas,
E sobrevôo o horizonte,
Debruço sobre os sonhos,
E adormeço...
No tecer do azul dos olhos!
Rosane Oliveira

Anjo e poeta

Anjo e poeta
Veio ele...
Lá do “oco da taboca”
É lá que se esconde
E acha que lá ele mora...
Trouxe consigo,
O filho,
A mochila,
E o boné...
Eu tinha certeza que
Eram azuis os olhos dele!
E feito o mar
O azul se inundou!
Na mochila,
Um punhado de rabiscos,
Escondidos,
Guardados...
Assim...feito a dor que sentia
Mas não dizia!
Sentimentos rabiscados,
De um poeta apaixonado!
Feliz estava...
Isso eu pude ver...
Senti o abraço que me deu,
E o beijo que guardou...
Mas trouxe...
E era meu!
Do azul para o verde...
A invasão...
Em um segundo ele me leu...
E nenhum mistério a mim restou,
Nem a ele,
Que ao verde se curvou!
Rosane Oliveira
(poema em homenagem ao amigo e poeta Paulo Silvoski...
agora um amigo "real"...amei conhecê-lo!!)

domingo, 30 de agosto de 2009

Perdição

Perdição
.
Que cheiro é esse que me entorpece?
Cheiro de fruto maduro
Que eriça meus pelos
E me estremece.
.
Que cheiro é esse que adoça a boca?
Atiça desejos
Provoca latejos
E me deixa louca.
.
Que cheiro é esse
Que me atiça na noite
No dia me assanha
Me convence e me ganha,
Feito um delicioso vicio,
Me rendo aos caprichos
Assim...feito bicho!
. É cheiro de gato,
De lobo no cio,
É cheiro de macho,
De menino vadio,
E lá se vai meu juízo...
Na correnteza do rio!
.
Rosane Oliveira

sábado, 29 de agosto de 2009

Olhando além do meu reflexo

Olhando além do meu reflexo
.
Sinto-me estranha.
Há em mim uma insatisfação imensa e muitas lacunas apareceram ultimamente.
Sinto que o meu tempo se esvai... parece-me que não há mais tempo.
Preciso ficar só com meus devaneios.
Preciso da companhia de mim mesma e procuro achar o que me aflige e me entristece.
Sinto uma vontade imensa de correr.
Correr atrás de algo que não sei ao certo o que é e nem onde encontrar.
Não quero chorar, mas minha tristeza é visível em meu olhar!
Bom, vou sair. Vou ficar comigo mesma e tentar entender esse momento.
Adentro o ônibus e observo logo um banco vazio.
Lá estava um senhor, já de bastante idade, com dois livros entre as mãos e concentrado na leitura de um deles.
- Com licença? Precisei despertá-lo da leitura para que pudesse sentar-me no banco a sua frente.
- Claro, me desculpe! Assim me respondeu ele.
-Estava tão concentrado no final desta leitura que distraí-me.
- O que o senhor lê? Perguntei curiosa.
O título do livro era: E agora?
- Eu leio muito. Passo noites e noites lendo, preenchendo a minha insônia. E sempre leio dois livros, um pra mim e um pra minha esposa.
Instantaneamente imaginei, porque motivo ele leria para a esposa.
E logo ele completou a interrogação do meu pensamento.
- Minha esposa é cega. Eu leio pra ela sempre, até que ela adormeça. Depois que ela dorme eu leio pra mim, e muitas noites amanheço na leitura.
Fiquei ouvindo o relato daquele senhor e imaginando que linda era a cena, dele à beira da cama lendo para a esposa cega.
Não pude deixar de observar a simplicidade daquele senhor agarrado aos seus livros.
Parecia um homem simples, suas roupas mostravam que era de origem humilde.
A calça estava manchada, a camisa faltava um botão; chinelos nos pés e os dois livros nas mãos.
Quanto carinho tinha pela leitura e quanto amor tinha pela esposa cega.
Mas... voltando ao começo deste devaneio, quando eu entrei no ônibus...
qual era mesmo o meu problema?
.
Rosane Oliveira

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Nostalgia

Nostalgia
.
Só mais um querer
Largado ao léu... no anoitecer
Só mais um sonho
Esquecido ao amanhecer!
Desejo amputado
Asa cortada
E outro vôo interrompido...
Apenas mais um suicídio!
A nostalgia aflora no vazio de nós
Normal?
Será normal, incisar os sonhos
Como se fossem pétalas
Arrancadas uma a uma
Como numa brincadeira de “bem me quer”?
Ao anular dos desejos
Desfolhamos a alma em viva carne
Auto- ferimento sem qualquer anestésico
E ao coagular do sangramento
A cicatriz...
Tatuagem natural
Dos tantos suicídios diários!
.
Rosane Oliveira

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Caminhos do amigo Mochiaro

CAMINHANDO
Na rua por onde ando
Nas calçadas por onde piso,
nas idas e vindas a marcar o chão,
deixando sulcos profundos,
numa mistura de poeiras,
que o chão recusa de vez
e o vento arrasta e a chuva limpa.
Na rua por onde ando
No chão onde volto a pisar,
recordo os sulcos marcados a dois e
hoje mais profundo existe apenas um.
Na rua por onde ando
O remoído das misturas,
sobras do atrito,
levanta em redemoinho,
buscando as alturas
a se misturar as outras misturas
que no passado foram presentes
e que no presente tornam-se passado.
Busco trilhar
pelas ruas do pensamento
os caminhos perdidos,
os caminhos ainda por percorrer,
para ver se há um encontro,
dos antes sulcos marcados
e cobertos pela esperança,
dos novos sulcos duplicados
onde eu e você iremos pisar
mochiaro.
mock 2009

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Conforto escrito por Alcanu...meu amigo do Overmundo

“Poema das garrafas”
Ah, essas garrafas
necessáriasdesde os tempos da Era Mamária...
depois vem a fase do refrigerante !
Normalmente aí se fica grandee
os gnomos nos abandoname com eles sonhos de gênios
aprisionados em misteriosas ânforas...
Náufragos somos
em busca de âncoras
que nos mantenham no fundo do mar
por longos séculos,
mas daí precisamos emergir,
numa tentativa tosca
de continuar a viver,essa brusca busca fosca,
esse luscofusco,
que tantonos ofusca,
tanto nos prendea uma vida
cheia de altos & baixos...
Esse não querer se afogar ,
esse incompreendido sobreviver !
Quantas vezes não sonhamos
em encontrar perdidas
garrafas de perdidose destroçados
viajantescom mensagens dentro ?
Chega então a época da volubilidade...
Vamos dos ‘liquors’ às pingas,
das ‘cervezas’ aos ‘vermouths’,
dos ‘whiskies’ aos ‘wines’,
dos ‘champagnes’ aos ‘cognacs’ !
O Homem vive mesmo
cercado de garrafas...
ah, quanta sofisticação,
mon ami,pr'uma vidinha tão curtafeito essa nossa ...
Quem conseguiu encheras taças das realizações, hein ?
Quem logrou encher um mísero copo
até a boca sem se embriagar ?
E se embriagando,
quem conseguiu evitar o vexame ?
Quem usou as vestes sagradas
e entrou num Tabernáculo ?
Quem honestamente
nunca usou os seus tentáculos
pra prejudicar um irmão
e levá-lo a algum profundo abismo,
mesmo que inconscientemente ?
Mas há um tempopara o arrependimento,
sim, isso há,
deixe os naufrágios
para os outros,
a gente confessa,
se redime,
se liberta,
se salvada
Eterna danação !
Observe as águias morrendo,
aprende com elas que arrancam
com o próprio bicoas suas garras
para que nasçam outras dessas...
É tempo de Jacintos !
Queremos um Lugar pra fugir,
temos um Coração pra esconder !
Ocultar nossas secretas
lágrimas de Dor,
essas talvez inconfessáveis...
E quando chega o amargo fim
seja o de Onofre,
seja o de Joaquim,
serão todos
eles e nós ‘engarrafados’e enterrados
nalgum Jardim !
Há um tempo de risos,
há um tempo para prantear...
mas não se preocupe:
há sacarrolhas na Vida Eterna !
Somos todos vasilhamesVelhos e já bem utilizados
desse enorme engradado
chamado:H U M A N I D A D E ...
© MCMLXXXV / MMIX by alcanu strong

sábado, 18 de julho de 2009

Fuga para o encontro

Percebo-te partindo...
Antes mesmo de haver chegado,
Mudando o seu caminho
Em passos descompassados...
Percebo-te indo embora,
Antes mesmo de ter voltado!
Tentas resistir,
Ao que já está incorporado;
E fugir,
Do que te mantém aprisionado. Tentas esconder,
O que nos olhos teus, está escancarado;
Submergir deste mar que estás mergulhado;
E sequer percebes que estás ancorado!
Inútil querer separar
O que está homogeneamente misturado.
Ou ignorar a felicidade
De estar completamente apaixonado!
Fechar os olhos à doçura deste pecado,
E punir-se temendo não ser perdoado!
Inútil querer acordar
De um sonho já começado
Ou desistir de um caminho que já foi traçado!
Rosane Oliveira

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Atrevimento

Atrevimento
.
Hoje,
Somente hoje...
Quero perder o juízo,
Arrancar os rótulos,
Despir-me dos medos
E me permitir...
.
Quero me embriagar da liberdade,
Entregar-me aos beijos que tenho vontade,
Saborear essa tal felicidade,
E adormecer nos braços da saudade!
.
Hoje,
Quero viver um sonho,
Quero gritar,
E nos ecos do meu grito,
Fazer o mundo me enxergar...
.
Quero fechar os olhos de Deus,
Pra que Ele não me veja pecar,
Beber das minhas vontades,
Gota a gota...
E me envenenar.
.
Quero vomitar esse amargor
E descobrir se a dor da morte
É maior que a dor de viver sem você!
.
Hoje,
E só hoje,
Quero me rebelar,
Soltar as amarras,
Cortar os laços,
E fugir...
Fugir de mim,
Fugir de você...
Fugir de tudo e de todos,
Apagar o passado,
Desenhar o futuro,
E entregar-me a vida!
Quero permitir que ela decida
Os atalhos do meu sentir!
.
Hoje,
E só agora,
Quero morrer pro ontem,
Renascer pro amanhã...
Livre,
Despida dos medos,
Nua dos meus pudores,
Esquecida dos amores,
Sem nenhuma cicatriz...
.
Hoje,
E somente hoje
Quero perder o juízo
E atrever-me a ser ...Feliz!
.
Rosane Oliveira

sábado, 4 de julho de 2009

Alma em agonia...

Eclodem de mim,
Pequenas palavras,
Que dizem minha imensa dor!
Erupciona por meus poros,
Todos os meus "ais"...
E verte por meus olhos,
A imensa saudade,
Que não cabe mais em mim!
Escaras abertas pela ausência,
Inflamadas pela covardia,
Deixam minh'alma em agonia!
É tanta dor!
É tanto amor!
É tanta saudade!
Rosane Oliveira

Alma Brasileira...dia 22/07...casa das rosas...vc é convidado especial!

Amo João, que ama Vania, que me deixa amar João só um pouquinho...,meus amigos que amo!

Paulinho foi meu presente!

Amo a Vania, que ama João, que também ama Vania!!!!

Diga-me apenas...(formatado por João)

Diga-me apenas...
Onde andas...luz dos meus olhos?
Por quais caminhos desfilas os sorrisos
Sem os quais não sei viver?
Em que boca depositas os meus beijos?
E os desejos?
Onde andas a satisfazer?
Ah amor meu...por onde andará você?
Os meus olhos já não te alcançam;
O seu perfume misturou-se as flores;
Nossos caminhos se perderam;
Não acharás minha doçura
No aconchego de outros amores!
Porque foges do sentir que lhe traz vida?
Ignoras a felicidade,
Procuras a liberdade em um amor pela metade?
Acaso não sabes que só somos felizes completos?
E que a parte que te completa
mora em meu peito
e anda perdida e chorosa
longe da parte que também lhe falta...
Ah amor meu...por onde andará você!
Quanta saudade dos beijos meus!
Devolva-me logo este amor que é meu...
Antes que eu morra metade, longe do amor seu!
Rosane Oliveira

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Maldita inspiraçao

Desabafo...(carinho de Michelle)

Quero de volta! Dueto com Paulo Silvolski

Em meus sonhos...formatado por Michele

Amor demais...formatado por João RR

Diga-me apenas

Onde andas...luz dos meus olhos?
Por quais caminhos desfilas os sorrisos
Sem os quais não sei viver?
Em que boca depositas os meus beijos?
E os desejos?Onde andas a satisfazer?
Ah amor meu...por onde andará você?
Os meus olhos já não te alcançam;
O seu perfume misturou-se as flores;
Nossos caminhos se perderam;
Não acharás minha doçura
No aconchego de outros amores!
Porque foges do sentir que lhe traz vida?
Ignoras a felicidade,
Procuras a liberdade em um amor pela metade?
Acaso não sabes que só somos felizes completos?
E que a parte que te completa
mora em meu peito
e anda perdida e chorosa
longe da parte que também lhe falta....
Ah amor meu...por onde andará você!
Quanta saudade dos beijos meus!
Devolva-me logo este amor que é teu...
Antes que eu morra metade,
longe do amor meu!
Rosane Oliveira

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Meretriz

Meretriz
.
Sou uma fraude
Um engano,
Uma amarga decepção!
Sou teu sonho a te corromper,
Sou teu eu verdadeiro,
Teu alvo certeiro,
Sou tua doce alucinação!
.
Sou a mentira que te faz verdade,
Sou teu desejo,
Teu encaixe,
Tua outra metade...
Sou tua alma gêmea,
Teu reflexo,
Tua razão sem nexo;
Do côncavo que és,
Sou eu o convexo!
.
Sou teu segredo,
O maior dos teus medos,
Sou um show sem enredo,
Uma estória contada,
Uma lenda encenada,
Sou só uma alma amargurada!
.
Sou tua fascinação,
Tua cama ardente,
Sou tua sede,
Tua paixão,
Sou teu tesão!
Sou quem te dá vida,
Quem transborda o teu coração!
.
Sou a curva no caminho,
O atalho cheio de espinhos,
Que te fere e te expõe
Aos extremos da sedução!
Sou o fogo que te queima,
A água que te banha,
Sou aquela que te assanha;
Sou meretriz...
Sou aquela que te faz feliz!
.
(Rosane Oliveira)
.
Fragmentos do texto, vc pode ler em:

segunda-feira, 22 de junho de 2009

(Re)Nascer

(Re)Nascer
Não quero mais te amar!
Quero apenas te apagar de mim,
Chorar todas as lágrimas...
E me esvaziar de ti!
.
Quero o direito de amar outra vez!
De aconchegar-me em meu silêncio
E degustar desta dor,
Gota a gota...
Em todo seu sabor!
E envenenar minha esperança
Com todo esse amargor!
.
Não quero mais te amar!
Nem sentir esse vazio,
Nem passar meus dias a lhe esperar voltar!
Quero dar aos meus olhos,
O direito de por outro alguém brilhar...
E ao meu coração, dar o direito de saltitar,
E transbordar de amar...
Outro alguém que me complete!
.
Não quero mais te amar!
Quero apenas te arrancar de mim,
E ser só um tantinho mais feliz!
Quero apenas me desmisturar de ti
E te separar de mim...
Quero te esquecer...
E dar-me o direito de outro amor viver!
.
Rosane Oliveira

domingo, 21 de junho de 2009

Vozes do Pensamento...Leni Martins...maravilhosa poeta e amiga!

Ecoam as vozes do pensamento
Elas gritam e imploram pelo silêncio,
A mente não cala...
Ela fala a todo momento!
.
Vozes do pensamento...
Elas não dormem...
Não se apagam,
se propagam Como o vento,
Espalham-se na mente
Na medida de cada sentimento.
.
Vozes internas...
Que remoem por dentro,
Expelidas por um simples suspiro,
Aliviam-me o peito.
.
Quisera eu calar meus pensamentos,
São vozes oprimidas...
Não existe o silêncio!
Leni Martins

segunda-feira, 15 de junho de 2009

Acrostico...presente da Claudinha Campello...pelo meu niver de 41 aninhos!!!

Repara! Não envelhes!
Ostenta a delicadeza de mulher;
Sorriso de menina;
Alma doce de uma bela mulher.
Namoras os versos...
Expressa seus sentidos...
Ovulas e se emprenha de magia...
Leves e intensos rabiscos!
Invejo-te! Percebes?
Velha quem já não crê no amor.
Embevecida em sonhos
Inspira-me a sonhar
Revitaliza e renasce todos os dia
A poetisa que és, lírica.
Claudia Campello

sábado, 13 de junho de 2009

Onde quer que eu vá...

Levo-te comigo onde quer que eu vá.
Lá você está, onde eu estou.
Na forma de saudade te levo nas minhas noites.
E os dias nem percebo passar...
Distraio-me pra não chorar a sua ausência...
Lembro-te gargalhando das minhas ansiedades.
Querendo eu acelerar o mundo e parar o tempo
Pra ficar mais contigo... e mais...e mais...
Tanto te amo!
Alimento minha esperança com lembranças tuas...
E assim te levo comigo... na forma de lembranças...
E de nada mais preciso... além de ti!
Rosane Oliveira

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Esperança

Sempre volto onde estive!
Sento a mesma mesa,
Choro outras lágrimas...
Ainda pela mesma dor...
De um amor que não é livre!
Vivo das lembranças,
Da felicidade breve que vivi...
Sobrevivo na esperança
De outra vez te ver ali...
Na mesma mesa...
Vestido dos mesmos sorrisos...
Trazendo um outro amor!
Livre...
Intenso...
Cultivado só pra mim...
Então terá valido a pena esperar...
E voltar tantas vezes aquele mesmo lugar...
Onde o mundo nos viu amar!!
Rosane Oliveira

Apelo

Há momentos em que o coração fica apertadinho...
E por mais que o sol brilhe,
Os meus olhos não sorriem...
E fecham-se para encontrar as tuas lembranças!
Os lábios ressecam na busca intensa dos teus beijos;
Sinto sangrar um ferimento que nao vejo...apenas dói...
Dói na alma essa saudade!
Dói na carne essa necessidade!
O vento toca-me trazendo o seu cheiro...
E a garoa mistura-se às lágrimas que transbordam o meu querer!
Sem ti não posso viver!
Volte meu amor!
Faça-me renascer...
Rosane Oliveira

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Alma em pranto

Verte por meus olhos
Gotas que não posso conter!
Exala por meus poros,
A necessidade de misturar-me a você!
.
No abismo de mim,
O eco repetido do seu sorriso!
E no assoviar do vento
As tuas juras de amor!
.
Teu cheiro
Neutraliza todos os odores,
Enquanto as flores,
Velam a minha dor...
.
Esperando que num breve momento,
O tempo,
Sepulte esse grande amor!
Rosane Oliveira

Vazio

"Neste vazio que é cheio,
Tua ausência sobra,
Tua presença falta,
E o meu querer transborda!"
Rosane Oliveira

domingo, 7 de junho de 2009

Sabores

"D'entre tantos sentimentos e sabores
Que experimentei em ti...
Nem mesmo a saudade...
Consegue ser completamente AMARGA!"
Rosane Oliveira

sexta-feira, 5 de junho de 2009

The end!

O mundo viu que eram meus os teus sorrisos;
Viu os teus olhos levarem-me ao paraíso;
E viu que os meus, brilhavam só pra ti!
.
O mundo viu você flutuar,
E os meus beijos, mil vezes desejar!
O mundo viu o seu encantamento,
E ouviu o seu juramento...
O mundo entendeu a nossa troca de olhar!
.
E hoje, enquanto te procuro na multidão,
O mundo observa inerte
As minhas lágrimas molharem o chão...
Aqui...
Neste mesmo lugar...
Onde o mundo te viu me amar...
E eu a ti...
.
Rosane Oliveira

Abismo de mim

Sempre sento à mesma mesa.
Embriago-me de concentradas doses de saudade tua...
Choro...
Preencho os meus momentos de um vazio imenso!
Não há mais você!Seu perfume é quase um cheiro comum.
O som que toca, não tem sentido algum, Sem o teu sorriso!
Vivo assim...
Dia a dia...
Tentando encontrar-me nesse imenso vazio que há em mim!
Só há lacunas expostas nesta ausência.
Lacunas que tento preencher com as lembranças...
Que ainda sentam à mesa comigo...
Rosane Oliveira

domingo, 31 de maio de 2009

Um momento de choro...

Sabe, já a algum tempo te percebo ausente.
Já procurei teu colo...e ele nao tava lá.
Quis desabafar, falar a minha aflição...e você, nem percebeu que eu sofria...

Achou que o meu sentir nao doía...que meu problema era pequeno!

As vezes acho que sou substituível...facilmente substituível... Todos somos, eu sei...mas pra ti, eu gostaria de ser importante... Que pena, te sentir assim tão distante... Nao queria sentir isso, nem chorar por isso... Mas em momentos mais frágeis, não quero outro colo que nao seja o teu... E dói não encontra-lo, dói não ser percebida, dói não ser acolhida! Então choro sozinha...fortaleço-me e tento cultivar a esperança de achar seu colo na proxima vez! Rosane Oliveira

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Invertidos valores

Invertidos valores
Hoje não vou rabiscar poesia...
Hoje, quero apenas falar...derramar nas linhas meu repudio...minha tristeza e
minha descrença...erupcionar o vulcão que sempre cito em meus poemas...
Poemas??
Ousadia minha pensar que o que escrevo é poesia!!
Sim!!! Ousadia!!!
Mas e daí? Eu não posso ousar??
E porque não?
Tenho o mesmo direito que teve Drummond...Florbela...e que você tem também!
Direito de não querer ler as minhas ousadias; ou de ler e achar que são mesmo
uma bosta e que nada tem de poesia.
Cada um com seu espaço. Cada um com sua competência!
Até o Lula ousou ser presidente...e ta lá...agrada uns...desagrada outros.
Porque temos que seguir normas, padrões que a sociedade diz que é certo?
Só porque alguém fez, deu certo, ficou famoso; então o caminho que ele traçou
torna-se regra?
Fernandinho Beira mar também ficou famoso!
Vamos seguir então o caminho dele?
Vou não João!
Meu caminho, eu traço...colho exemplos, arquivo experiências que me façam
crescer e ser melhor!
Não preciso ser famosa! Não preciso ser rica!
Preciso ser melhor! Preciso agradar a mim mesma!
E pra isso só preciso ser “verdade”!
Ouso ser diferente? Fugir às regras?
Claro que não! Ouso apenas naufragar em mim mesma e descobrir-me “única”!
Olho pros lados e vejo...ou melhor, “não vejo”...
Os seres, que se dizem humanos,(claro que não todos, mas uma “baciada” deles)
correm atrás do seu próprio umbigo. E pensam que o mundo gira mesmo em
torno desse orifício!
Embora, eu também goste do meu, descobri que há muito mais coisas entre o céu
e a terra que as futilidades que a sociedade nos impõe como parâmetros de
felicidade.
Precisamos de dinheiro? Sim!!! É claro que sim! Mas podemos viver com pouco,
com o suficiente, somente com o nosso, somente com o que conseguimos com
trabalho honesto!
Precisamos de carro? Sim!! Mas também podemos chegar de ônibus, de trem ou
até de bicicleta!
Vive-se bem também com pouco menos do que pensamos precisar.
Sabe, quando eu deixo meu trabalho e vou pra minha casa, sempre atravesso um
bairro (intitulado de favela pela sociedade) de baixo poder aquisitivo, onde as
pessoas se divertem em uma barraquinha na esquina. Som alto e sorrisos. As
pessoas dançam, cantam e conversam. Diversão com pouca grana!
É brega? E daí se não prejudica ninguém!?
Eu tive uma cadelinha poodle que ficou comigo 15 anos...um dia ela foi
embora...hoje eu tenho um cachorro vira-lata que me faz tão mais feliz que
minha poodle.
Ta difícil observar que só não dá pra viver ou ser feliz, sem amor!!!
E que dele sim, precisamos sempre mais e mais...queremos sempre a última gota.
Porque será?
Mergulhe em você e veja!! É porque ele preenche todas as lacunas provocadas
pelo desamor...e são tantas lacunas!
É porque ele traz a beleza interior, que a lipoescultura não é capaz!
É porque ele ensina ver bem além do azul dos olhos...alem das posses
financeiras...alem do ponteiro da balança apontando 50 kg...ele ensina ver alem
da curva da estrada...
É porque ele nos leva de volta à condição que fomos criados...
À condição de “ser humano”!
Rosane Oliveira

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Apresetando Delen...poeta Overmundo!!!

“ SOU ASSIM "
Sou totalmente engraçado
Escrevo tudo errado
Não faço nada rimado
Meu português é mal falado
E não me incomoda comer de colher.
Sou do tipo assanhado
Muitas vezes acanhado
Depende de como sou abordado
Mas tenho samba nos pés.
Sou louco varrido
Tento fazer dos meus escritos
Uma arte como Pelé fez no futebol.
Sou um pouco de tudo
Nunca julguei o absurdo
Errar é que me faz acreditar
Que o tempo é mestre para nos ensinar.
Desculpe essa minha agressividade
Sou calouro, essa é a verdade
Em meu cartão de visita
Deixo uma simples mensagem...
“ Sou o eterno aprendiz "
Delen Oliveira Costa

domingo, 24 de maio de 2009

Vida além das pálpebras!

Fecho os olhos pra te ver sorrir lindamente!
Enquanto amava-me docemente!
Fecho os olhos pra matar a saudade do teu amor!
Pra ter voce assim pertinho...
Sentir seu cheiro e aconchegar-me nos teus carinhos!
Fecho os olhos pra sentir-te comigo!
Pra saciar a necessidade do teu amor!
Pra arder ainda no teu furor!
Fecho os olhos pra sentir teus beijos!
Pra sentir sua lingua me invadir,
Suas medidas me preencher!
Fecho os olhos pra fazer amor com você!
Olhando a realidade
Não há mais você...
Entao fecho os olhos pra do teu amor viver!
Rosane Oliveira

quinta-feira, 21 de maio de 2009

(Re)Aprendendo

Retornei ao meu escuro casulo
Onde a solidão me acarinha...
Estou ferida...
Preciso cuidar das minhas dores!
Choro...sangro...
Fico imersa em minhas lágrimas
Elas preenchem os sulcos das feridas que se abriram.
Preciso de colo de mim mesma!
Preciso fortalecer-me...
Encontrar-me outra vez...
Necessito adormecer e aprender...
(Re)Aprender como viver sem você!
Rosane Oliveira

Minha Dama da noite (do meu amigo Mochiaro)

CAMINHAVA SEM DESTINO
PELA CALÇADA VENDO A NOITE ACORDAR QUANDO SENTI SUA PRESENÇA
.
BUSQUEI EM TORNO, MAS NÃO LHE VI
.
MAS FUI DE NOVO ACORDADO COM SEU PERFUME EMBRIAGADOR E SUBLIME SIM ERA VOCE E NÃO ERA
.
SEGUI CAMINHANDO, MAS AO ENCONTRO MEU UMA BRISA SUAVE ME ENVOLVIA COM UM PERFUME CADA VEZ MAIS INTENSO
.
PAREI E ME DEIXEI LEVAR RESPIRANDO FUNDO E ME LEMBREI QUE VOCÊ DE FATO ESTAVA PRESENTE E MUITO
.
VOCÊ MINHA PEQUENINHA FLÔR QUE ME ACORDOU AO ESCURECER NA BRANCURA DE SUA DELICADEZA
.
AO ME FAZER LEMBRAR-SE DE VOCÊ AO DELICIAR-ME COM SEU AROMA MINHA PEQUENINA “DAMA DA NOITE”
.
mochiaro

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Desabafo

Hoje, bem mais que ontem,
A sua falta fere minh’alma.
A saudade machuca meu corpo,
E o vazio que você deixou, é ainda maior!
Impossível entender a instantânea ausência a que você nos expõe!
Um simples “delete”...e tudo acabou!
Como se uma borracha pudesse apagar o teu sorriso do meu olhar!
Como se outro perfume, pudesse mascarar o teu cheiro;
E outro calor pudesse aquecer-me;
Ou outros braços pudessem confortar-me!
Inútil!
Não há calor em outro olhar;
Nem aconchego em outro corpo.
Não há doce em outro cheiro,
Nem magia em outro beijo;
Não há luz em outro sorriso,
Nem prazer em outro leito...
Inútil!
Não há reflexo além do espelho!
Além da curva da estrada, só há saudade!
Rosane Oliveira

Mochiaro e Patricia...amigos queridos!!!

Eu, perdida nos contos da Patricia Rocha...
Diário de Bordo é uma delícia!!!!
Mochiaro, ao lado de seu filho Sandro, ao centro Patricia Rocha autora de Diário de Bordo e Mirtes poeta Overmundo....
Meu carinho a vocês!!!!

Carinhos dos apaixonados Kamli e João...moram em meu coração!

No mesmo dia, dois presentes, de dois amigos queridos...
Kamli e João Ramalho...
Obrigado pelo carinho!!!

domingo, 10 de maio de 2009

Intensidade

Nenhum amor foi tão forte,
Nenhum carinho foi tão doce,
Nenhum querer foi tão profundo;
Quanto foi você em mim!
Chegou sem querer,
Na inconsequência de um ato impensado,
E virou um tornado!
Destruiu o pouco que havia,
E também oque construiu...
Amei como nunca antes,
Sorri com inexplicável prazer!
Brilhei e fui linda,
Aos teus beijos me entreguei...
E me completei!
Misturei-me a tua cor,
Nas tuas medidas me perdi;
E conheci o amor!
O amor de verdade e sua intensidade!
E quando você se foi,
Conheci a saudade...
Conheci o vazio, a dor e a necessidade!
Inundei meus sorrisos com lágrimas,
E naufraguei...
Encontro-me aqui, perdida neste vazio...
Tentando acalmar a dor,
A velar o meu verdadeiro amor!
Rosane Oliveira

sábado, 9 de maio de 2009